Rua Francisco Preto, 213
São Paulo/SP
(11) 3742-0516

 

 

 
 

1. Escolher um dia e uma hora da semana em que seja possível contar com a presença de todos os familiares ou da maior parte deles.

2. Observar rigorosamente o dia da semana e o horário, pois a pontualidade e a constância nas reuniões são elementos indispensáveis para a obtenção de boa assistência  espiritual.

3. Num local da residência, previamente escolhido, a reunião será realizada com as pessoas sentadas ao redor de uma mesa, para que todos se sintam bem acomodados.

4. Colocar copos com água (um para cada pessoa, porque permite a fluidificação especializada a cada uma delas) ou uma vasilha com água pura, para ser oferecida a todos os componentes, após o encerramento.

5. Iniciar a reunião com uma prece, que deverá ser simples e espontânea, realizada em voz alta por um dos participantes, mas sempre exteriorizando os sentimentos nas palavras expressadas. Poderão ser feitas preces conhecidas, porém, sempre ditas pelo coração e nunca adornadas com extenso palavreado. Aprece de abertura permitirá o equilíbrio de pensamentos dos presentes em torno de Jesus, o que facilitará a harmonia e o aproveitamento das lições.

6. Prosseguir com a leitura de O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO, através de um dos seguintes processos: a) Estudo ordenado, que é o estudo metódico de O Evangelho, desde o primeiro capítulo, o qual permitirá que os participantes tenham um conhecimento gradual e ordenado dos ensinamentos que o livro contém e, depois de seu término, seguir o segundo sistema; b) sistema de abertura ao acaso, no qual se abre o Evangelho ao acaso; dessa maneira, serão obtidas lições variadas, geralmente coincidentes com as maiores necessidades dos presentes, pela intervenção da Esfera Espiritual.

7. O trecho escolhido não deverá ser longo, mas sempre realizado de maneira completa, isto é, lendo todo o parágrafo escolhido para o estudo.

Depois da leitura se seguem os comentários (ou perguntas) pelos diversos componentes, de maneira sucinta e breve, sobre o tema escolhido e sempre buscando a essência espiritual da lição para a aplicação na vida diária de cada um.

8. A orientação será oferecida pelo chefe da família ou pela pessoa que disponha de maiores conhecimentos doutrinários. Cabe aqui lembrar que sendo o Evangelho no Lar um ESTUDO EM GRUPO, não é necessária a presença de uma pessoa com cultura doutrinária. Na pureza dos ideais e na sinceridade das intenções, está o maior valor proporcionado pelo Evangelho e na continuidade dos estudos, todos aprenderão, auxiliando-se mutuamente nos pontos pouco compreensíveis. Como o Espiritismo nos oferece a Fé através da Lógica e do Raciocínio, é muito importante que todos tratem de participar na discussão dos temas escolhidos, na medida do possível, de forma serena, amistosa e com liberdade de pensamentos, porém, sempre num ambiente de respeito e elevação. Falar e viver com Jesus é uma felicidade que devemos conquistar a todo instante.

9. As manifestações mediúnicas deverão ser evitadas. Para elas há um local adequado que é o Centro Espírita. A finalidade básica de O Evangelho no Lar é: A APRENDIZAGEM CRISTÃ PARA A MELHOR CONDUÇÃO DE NOSSOS DESTINOS na jornada física atual. Dessa forma, no Culto Cristão não há lugar para incorporações, passes e psicografias, salvo determinadas situações, que se podem considerar como exceções. Quando encontramos mediunidades in- disciplinadas, devemos encaminhar o problema a uma Sociedade Espírita idônea.

10. Deve se evitar comentários e censuras contra pessoas ou religiões. Busca-se no Evangelho a aquisição de valores maiores como BENEVOLÊNCIA, CARIDADE, COMPREENSÃO E HUMILDADE, não havendo, dessa forma, ali, lugar para qualquer conversação pouco edificante.

11. A participação de crianças deve ser permitida, levando-se em conta o grau de raciocínio de cada uma para que haja compatibilidade com a compreensão e o respeito necessário no momento da prática. Poderão participar nos comentários e na oração para irem adquirindo consciência de "participação".

12. A duração da reunião pode ser de 30 minutos, não devendo prolongar-se mais que 45 minutos.

13. Não suspender a prática do Evangelho em virtude de visitas inesperadas. O dirigente deverá esclarecer o assunto delicadamente, com humildade e franqueza, e convidar as visitas para participarem, se assim o desejarem. Lembrar-se que, muitas vezes, foi a Espiritualidade que provocou o encontro para o esclarecimento evangélico.

14. Procurar, também, não suspender a prática do Evangelho em virtude de chamados a compromissos de última hora. Se for, realmente, de extrema importância, a pessoa solicitada deverá atender, sendo que os demais deverão realizar o estudo. É evidente que em caso de real necessidade da presença de todos, os Espíritos envolvidos com o trabalho, com certeza, agirão no sentido de amparar os participantes nessa delicada situação.

15. O encerramento da reunião deve ser realizado com uma oração na qual se agradece os momentos de reencontro espiritual, a paz e as lições recebidas. Em seguida, todos deverão beber a água fluidificada.

OBSERVAÇÃO

Pode ocorrer que a pessoa motivada pela Doutrina Espírita não encontre o mesmo interesse por parte de seus familiares no ambiente de seu lar. Nesse caso, desde que manifeste o desejo da prática do Evangelho no Lar, deverá proceder da seguinte maneira: a) Eleger dia e hora na semana; nesse dia e hora, recolher-se em um cômodo da casa, só ou acompanhado pelos simpatizantes; b) Proceder à prática do Evangelho como foi explicado anteriormente.

 
Restrito
Lar Escola Cairbar Schutel 2014 - Todos os direitos reservados
BSite